sábado, 5 de março de 2011

acumulo de riquezas

Se tudo que vivi foi fruto de um amor coletivo, de um carinho de todos e tentativas sucessivas de ver meu sorriso ou bem estar... diria que já experimentei do amor numa captação de uma imagem, o amor a observar uma flor se abrir até sua morte – que significa o nascimento de outras-, o Amor em não contar o tempo quando compartilha fato de sua vida com outrem , o amor em aquietar teu próprio coração com o amor lançado por alguém em retribuir amor, seja carnal ou de simples afeto, o amor por mim mesmo quando luto o esporte que me curou a claustrofobia e o amor lecionado pela família no ensinamento deste, o amor em dedicar cada palavra a quem tu pôde e pode amar, o amor no corrigir com classe e destreza... e mesmo que ninguém tenha sentido ou vivido isso, saiba que mesmo assim, me satisfiz, pois dói o único bem que tive e pude dar sem esperar qualquer retorno. Na bíblia, diz que o amor é um dom de Deus... agora pense de novo... (na foto, Yves Gigot, meu pai biológico, por mim, e cropada)

2 comentários:

Graziella disse...

Muitas vezes acumulamos riquezas inuteis e esquecemos do mais simples o amor aà nos mesmo e ao nosso proximo!! gostei muito do seu blog, e sempre que puder vou ler os seus poss com carinho!! :)

karlakcharla disse...

este olhos serão sempre para mim....o retrato do Oásis que ficou a algumas milhas e sedenta ao longe fico a observar....


amei tudo que você fez e faz...e o que és meu amado pequeno príncipe....